O espetáculo “Bancada da Morte”, de Paulo Bond Simões, conta história de um homem conhecido como “Fumante”, que é detido praticando um roubo. Porém, na delegacia, ele se diz inocente, recusando a delatar o nome de uma aparente cúmplice. Sendo assim, faz um acordo: contará 5 histórias envolvendo algo suspeito e uma das pessoas citadas está envolvida no crime.

Paulo Bond Simões conta que a peça surgiu de uma ideia de que muitas pessoas contam histórias que jamais aconteceram como se fossem verdadeiras, enquanto muitos contam histórias reais e dizem que foram inventadas. “Pensei num monólogo em que o personagem tivesse antipatia e bom humor ao mesmo tempo, de forma que ele, inicialmente, passasse a ideia de ser um homem insuportável e arrogante e fosse, na verdade, confuso, fácil de ser manipulado e até mesmo ingênuo por acreditar nas pessoas.”, diz Paulo Bond Simões.

Quando alguém planeja um golpe, planeja fazer algo ilícito pra conquistar algum bem material, ele pode ter sido levado a fazer isso não só pelo desespero de estar precisando de dinheiro como pode ser, simplesmente, por ter acreditado na pessoa errada. A intenção do espetáculo “Bancada da Morte” é fazer com que o espectador perceba que um comentário que parece ser inocente possa carregar muitas outras intenções.

Serviço
Teatro Candido Mendes (Rua Joana Angélica, 63 – Ipanema)
Temporada: 07 a 28 de julho de 2022.
Horário: 20h
Duração: 45 minutos
Classificação etária: 14 anos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here