O Musical “Cartola – O Mundo é um Moinho” tem estréia marcada para o dia 10 de setembro, no Teatro Sergio Cardoso, em São Paulo. Atores negros vão contar a vida e a intimidade de Cartola– um ícone do samba e o fundador da Estação Primeira da Mangueira. Serão 30 apresentações e, a cada semana, um artista convidado participará do maior encontro do “mundo do samba”.

Foram 3000 inscrições, mais de 400 audições, 30 candidatos selecionados para a fase final que realizaram brilhantemente uma leitura do texto e, finalmente, os 18 atores escolhidos: Flávio Bauraqui, Vírginia Rosa, Hugo Germano, Adriana Lessa, Silvetty Montila, Augusto Pompeu, Edu Silva, Renata Vilella, Ivan de Almeida, Larissa Noel, Lu Fogaça, Andrea Cavalheiro, Grazzi Brasil, Flávia Saoli, Esdras de Lucia, Gabriel Vicente , Rodrigo Fernando e André Muato.

O Espetáculo ganhou proporções maiores do que apenas uma peça teatral, se tornando uma grande Ação de Empoderamento dos Artistas Negros deste país. “Estamos cansados dos rótulos impostos pela sociedade, além de dar uma oportunidade de revelar novos talentos/atores e atrizes negros”, declara Jô Santana, idealizador e produtor do Projeto.

Os candidatos vieram de várias regiões do país e puderam demonstrar seus talentos durante as audições (ocorridas em maio deste ano) que aconteceram bem no “coração de São Paulo”, no Itaú Cultural, na Av. Paulista. “Não foi tarefa fácil, tamanha a qualidade artística apresentada”, afirma Artur Xexéo, roteirista do Musical.

Neta do compositor e diretora do Museu do Samba, Nilcemar Nogueira também integrou o grupo que avaliou os 400 candidatos de todo o Brasil, dentre os três mil inscritos para o Musical Cartola. “Não vou conseguir descrever toda emoção que vivi nestes dias. Para mim e para todo o Brasil, será um presente poder contar a história de Cartola, meu avô, meu ídolo e minha referência”, declara Nilcemar.

No espetáculo, Cartola será vivido pelo ator Flávio Bauraqui e Dona Zica, mulher do compositor, será interpretada pela cantora Virgínia Rosa.

“Cartola – O mundo é um moinho” conta com um time de primeira linha. Roberto Lage assina a direção e encenação e a direção musical cabe ao maestro Rildo Hora.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here