Entre os dias 19 e 21 de outubro, vai acontecer a 48° edição do Hava Netze Bemachol, na Hebraica Rio. Reconhecido como o festival de dança israelí mais importante da América Latina, o evento é um ícone da cultura judaica no Brasil e acontece, ininterruptamente, há 48 anos. Em 2018, a expectativa é receber, em média, 3 mil pessoas por dia.

Esse ano, como não poderia deixar de ser, o tema do festival será a celebração do 70° aniversário da independência de Israel, que aconteceu em 14 de maio de 1948. “A maioria das coreografias que serão apresentadas terão essa temática, encenando suas guerras, conquistas, histórias, imigrações, operações especiais de resgates de comunidades como os do Iêmen, Etiópia, Sudão, Iraque. Os grupos trarão também temáticas sobre as tradições judaicas e histórias das comunidades pela diáspora ao longo dos séculos. Essas tradições são, em última análise, o que regem o espírito sionista e a manutenção do Estado de Israel”, explicou Daniel Adesse, coreógrafo e responsável pelo festival. E para contar essa história, estarão, inclusive, grupos que há muitos anos não se apresentam no Hava Netze Bemachol, como dois grupos de Porto Alegre – um do Club Campestre e outro do Colégio Israelita -, e outro de Miami, do Bamachol Dance Program, o Jewish Community Center de Aventura, um programa que conta com mais de 700 dançarinos.

“Durante esses dias, dançarinos e membros da comunidade se encontram, conhecem gente nova, reencontram amigos de outros estados. A dança folclórica israelí possui um caráter único e muito intenso de conexão e união das famílias ao redor da cultura e das tradições judaicas, independentemente da idade ou nível técnico”, pontua Luiz Mairovitch, presidente da Hebraica Rio.

No primeiro dia, sexta-feira, haverá um luau e rodízio de crepes para comemorar a chegada dos grupos. A entrada é aberta ao público. Além disso, um quarteto de Jazz, o Quartetinho, apresentará um repertório com músicas clássicas de jazz internacional e também da música popular brasileira. “Após o luau, teremos uma Harkadá no Salão Nobre, que é uma grande sessão de danças de roda do folclore israelí. Esta Harkadá vai se estender até a madrugada”, explicou Adesse.

Já no sábado, na parte da tarde, vão acontecer os shows dos grupos com integrantes entre 10 e 12 anos. No mesmo dia, mas às 20h, será a vez dos grupos mais adultos entrarem no palco. E às 23h uma das novidades deste ano: a Mostra Competitiva, no Teatro da Hebraica. “Temos alguns grupos que participam do festival que são representativas de escolas e movimentos juvenis que não têm como objetivo montar espetáculos. Mas, para aqueles grupos que são um pouco mais profissionais e que têm um trabalho técnico, pensamos que uma mostra competitiva iria ajudar a divulgar o trabalho destes grupos e prestigiá-los. Esses grupos serão avaliados por um corpo de jurados renomados do mundo da dança, além de receber o voto do júri popular por meio do novo App do Festival”, completou Daniel. A dança campeã se apresentará novamente no domingo à noite.

No domingo, as atividades começam pela manhã, com um show infantil para crianças de 3 a 9 anos. A partir das 19h, a Noite de Gala, com grupos selecionados, promete fechar com chave de ouro o 48° Festival, com as coreografias mais especiais deste ano. Além disso, os movimentos juvenis judaicos também vão competir pelos prêmios de melhor Torcida e Melhor Coreografia.

E tem muito mais: uma atividade externa especial na Praça Garota de Ipanema, no Arpoador, onde acontecerão danças de rodas e apresentações especiais de grupos de dança israeli; dois workshops – um de Ritmos e outro de Acrobacia Aérea para crianças -; uma festa na Boate da Hebraica com DJ, lounge, entre outras atrações; um festival de Food Trucks; brinquedos para as crianças, com infláveis, parede de escalada e muito mais; e oficina de Slime.

Tecnologia por todos os lados

A tecnologia também estará por todo o festival, com projeções de vídeos em telões ao longo dos shows, com vídeos explicativos sobre os diferentes aspectos da construção de Israel e algumas curiosidades e fatos da atualidade do país; e com o lançamento de um App desenvolvido especialmente para o Festival, pelos alunos do Instituto de Tecnologia ORT. “Neste aplicativo, os convidados poderão acompanhar os eventos do festival, programar a agenda do celular para receber notificações das atividades, conhecer mais sobre os grupos participantes e votar nas suas danças favoritas através do “Kapaim”, que quer dizer “palmas” em Hebraico”, complementou Luiz Mairovitch.

“O festival tem um papel crucial como marco de educação não formal para nossos jovens. Em apenas um final de semana, fazemos uma imersão em conteúdos judaicos que reforçam nossa identidade e nosso senso de comunidade. Os jovens são a força motriz do festival, e contamos com eles como coreógrafos, voluntários, dançarinos, animadores de torcida, líderes. Eles são o início, o meio e o fim do festival Hava Netze Bemachol”, finalizou Adesse.

Serviço:
48° Hava Netze Bemachol
19, 20 e 21 de outubro
Hebraica Rio – Rua das Laranjeiras, 346 – Laranjeiras
Ingresso: a partir de R$20,00 (arquibancada)
Mais informações: 2557.4455 (Secretaria da Hebraica Rio)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here