Baseada no livro de estreia do escritor e jornalista Edney Silvestre, a minissérie ‘Se Eu Fechar os Olhos Agora’ estreou na Rede Globo em abril deste ano. O romance, lançado em 2009 pela editora Record, ganhou o Prêmio Jabuti – o maior prêmio de literatura brasileira no país – naquele ano, sob muita controvérsia, e se torna uma história midiática em dez episódios sob comando de Ricardo Linhares (que criou diversos filmes dos Trapalhões) e a direção precisa de Carlos Manga Jr.

Enquanto a minissérie é dividida em 10 capítulos de 44 minutos de duração em média, o romance tem cerca de 300 páginas e o leitor tem apenas o ponto de vista dos meninos Paulo Roberto (João Gabriel D’Aleluia) e Eduardo (Xande Valois), que, numa tarde quente de verão, acabam descobrindo, sem querer, o corpo mutilado da bela Anita (Thainá Duarte). É neste momento que os dois meninos entram forçadamente no mundo adulto. Através da curiosidade genuína da juventude, os dois partem numa investigação sobre o assassinato da moça.

Na série, embora o protagonismo permaneça com Paulo e Eduardo, boa parte dos elementos e dos fatos são contados por outros personagens, descentralizando a linha de raciocínio da investigação juvenil. Essa escolha do roteiro deu mais dinamismo ao tom noir do suspense, que, no livro, é mais lento, diante da limitação das crianças em se meter em determinados assuntos. Ganha o espectador, que tem a oportunidade de ver o desenvolvimento de personagens interessantes da trama, como Adalgisa (interpretado pela excelente Mariana Ximenes, que desfila um guarda-roupa de fazer inveja), que, no romance, são meramente mencionados.

A série também insere outros personagens, como o bispo Dom Miguel (Jonas Bloch, como é bom revê-lo na TV!) e outras mortes que não estão na trama inicial. Como já dito, isso ajuda não só a dar mais ritmo à história, como também preenche mais o espaço dos dez episódios, pois, por mais que seja uma história de investigação, o romance original poderia ter sido adaptado em, talvez, cinco episódios.

A trilha sonora indicada por Edney Silvestre, recheada de óperas e boleros, está presente na versão final da série, o que não só reafirma o clima noir, como também ajuda a ambientar a trama nos distantes anos 1960. A proposta é acompanhada pelo figurino, pela direção de arte e pela fotografia, que, em sintonia, entregam uma filmagem primorosa.

Para quem curte um suspense investigativo a la Agatha Christie, ‘Se Eu Fechar os Olhos Agora’ é um prato cheio, tanto a versão impressa quanto a televisiva, pois ambas acompanham o passo a passo do raciocínio da investigação, reunindo informações, coletando evidências e indo atrás do confronto cara a cara com os suspeitos, com direito a diálogos mastigadinhos e de fácil compreensão.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here