Já consolidado no calendário oficial do Rio de Janeiro, o festival “Visões Periféricas”, criado em 2007, por Marcio Blanco, chega a sua 13ª edição, trazendo para o público carioca um panorama de filmes voltados para a temática da periferia ou realizado por moradores de comunidades brasileiras. O evento acontece entre os dias 25 e 29 de setembro, no Centro Cultural Banco do Brasil, com entrada franca. Pelo segundo ano, entre os dias 24 e 28, o festival promove no CRAB (Centro Sebrae de Referência do Artesanato Brasileiro), o “Visões Lab”, plataforma criada para a geração de negócios entre players e projetos de audiovisual comprometidos com a inserção de jovens realizadores de periferia no mercado e a ampliação do espectro de visões sobre regiões e grupos periféricos do país. O festival “Visões Periféricas” conta com o patrocínio do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), Ancine e do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).

Pioneiro no Brasil, o festival “Visões Periféricas” tem como objetivo estimular e promover o crescimento, a difusão e o desenvolvimento estético e profissional de novas gerações de produtores e exibidores de audiovisual nas periferias. Aproximadamente, 70 filmes serão exibidos durante o evento, divididos em mostras temáticas dentro e fora da competição. “Nosso objetivo é abrir espaço para filmes produzidos pelas periferias, que tratam sobre esse universo, mas que tragam um olhar novo sobre ela. E não estamos falando apenas das favelas, mas também do interior, das comunidades indígenas, LGBTs, grupos que estão à margem e não estamos acostumados a ver retratados nas salas de cinema”, explica Marcio.

A mostra competitiva “Panorâmica” apresenta uma seleção de longas e médias-metragens, formato relativamente novo nas periferias, que vem crescendo no vácuo do advento e da democratização da tecnologia digital. Já os curtas são exibidos dentro da mostra “Fronteiras Imaginárias”, refletindo a diversidade de expressões estéticas e temáticas que fazem do Brasil um país plural e único. Ainda dentro da competição, a mostra “Cinema Da Gema” apresenta os filmes dirigidos por cariocas, trazendo o que há de mais inovador no cinema do Rio de Janeiro.

A programação conta ainda com mais seis mostras especiais (não competitivas), criadas pela curadoria a partir de temas recorrentes entre as obras selecionadas. Destaque para as mostras “Processo Contínuo”, com filmes que abordam o panorama político nacional; “Eles Não Vão Nos Calar”, que aborda a questão do abuso de poder do estado e também da sociedade diante de pessoas em situações de vulnerabilidade; e “Subúrbio Em Transe”, dedicada especialmente as produções coletivas do Cineclube Subúrbio em Transe, capitaneado pelo professor de geografia e cineasta Luiz Claudio Motta Lima. Além dessas, temos as mostras “Cinema De Bicicleta”, que retrata as diferentes formas de uso do meio de transporte na cidade; “Singular”, dedicada a personagens únicos da cultura popular brasileira; e “Visorama”, com filmes produzidos em escolas, oficinas e projetos de formação audiovisual de diversos estados brasileiros.

SERVIÇO:
“Visões Periféricas”
CCBB ( R. Primeiro de Março, 66, Centro)
Data: 25 a 29 de setembro (abertura para convidados dia 25).
Horário: 14h às 19h (ver programação dia a dia).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here