“HERÓIS”, episódio “Música” da “Trilogia Solo”, é livremente inspirada nas vidas e músicas de astros do Rock.

Foto: Vitor Vieira

O espetáculo “HERÓIS”, que estreia em versão online dia 20 de novembro, fica em cartaz sextas, sábados e domingos até 13 de dezembro.

Abordando valores submersos no cotidiano contemporâneo, “HERÓIS” conta com David Bowie  principal inspiração do personagem, além de outros astros do Rock dos anos 60 e 70, como Lou Reed, Jim Morrison, Bob Dylan e The Rolling Stones, e o lendário fotógrafo Mick Rock, como influências da montagem.

 “Esse espetáculo fala sobre um indivíduo só (mesmo cercado de muitos), tomado de questões acumuladas ao longo de uma vida. Esse momento da vida, em que se abre uma fresta (como que estamos passando em escala mundial!), e podemos acompanhar os minutos de extrema potência em que tudo pode ser visto de “um novo lugar. Seguir, fazer, reinventar a própria vocação por meio de novas e antigas companhias”, comenta o ator Paulo Azevedo.

A encenação se apropria do conceito de que o protagonista é o agente da cena. Acompanhamos o seu fluxo de pensamento no trânsito intenso entre os espaços de “fora” (realidade, o cotidiano) e o de “dentro” (o imaginário, o desejo, onde suas ideias e pensamentos se realizam com extrema liberdade).

O intérprete canta, dubla ou apenas acompanha a tradução projetada em vídeo das canções e das rubricas (como uma ordem suprema para o performer, numa metáfora da presença do autor/diretor) – reflexões focadas no ser humano por trás do “artista/herói”. Aliás, o desvelar dos bastidores de uma criação aponta para um relato formado por muitas vozes. Além disso, os limites entre o que é real e o que é imaginário enriquecem o essencial: compor uma obra cênica compartilhada “com” e construída “para” o espectador.

Mais que escrever uma peça teatral, o autor buscou criar algo como uma entrevista com um artista. Por isso, a audiência assume um papel: a de jornalistas em uma coletiva de imprensa com o astro do rock, criando um jogo entre a ator e o espectador.

A trilha sonora traz composições originais e releituras de clássicos do Rock, criadas por Barulhista, a partir da seleção musical de Paulo Azevedo. As cenas foram pensadas como faixas de um álbum, com títulos e minutagem, na qual as letras das músicas pontuam determinados momentos da narrativa.

Serviço:
Duração aproximada: 50 minutos
Classificação etária recomendada: 12 anos
Gênero e modalidade: Drama cômico
Ingressos 
De 20 de novembro a 13 de dezembro, sextas e sábados, às 21h e domingos, às 17h

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here