Terror de baixo orçamento tem 95% de aprovação no Rotten Tomatoes.

É muito comum ter amigos imaginários na infância, alguns são fofos enquanto outros são engraçados, mas alguns parecem assustadores. Em Amizade Maldita, o amigo de Josh é Z, e este “amigo” começa introduzir o menino a situações bem complicadas e até terríveis. Os pais da criança, Beth e Kevin, se veem perdidos ao achar que seu filho pode ser um lunático. Contudo, Z é um amigo nada imaginário, e Beth já o conheceu a muito tempo.

Para começar, existem vários elementos a serem considerados em Amizade Maldita. Primeiro, existem os componentes clássicos de praticamente todos os filmes de terror da última década, além do modelo família do comercial de margarina. Depois é necessário que o pai seja mais ausente e irresponsável de certa maneira, para que no fim a mãe seja a figura poderosa que vai salvar sua família. Além disso, existe a figura maligna que será identificada como tal pela mãe, e alguém que vai explicar o que é esse maligno. Assim, o roteiro do filme cumpre todos esses quesitos, porém Colin Minihan e Brandon Christensen decidem subverter todos esses conceitos clássicos. Então nós temos uma explicação para essa figura maligna, todavia ela é aberta à imaginação do público. A mãe realmente salva a família, ou que sobrou dela, mesmo não gerando um final feliz.

Sob o comando de Christensen, o filme ganha criatividade na edição e na fotografia, além de saber usar muito bem a subjetividade do público com detalhes simples. Aliás, aqui fica um aviso para o leitor com gatilhos para com relações abusivas, abuso sexual e suicídio.

Amizade Maldita sai de um filme de terror medíocre e mergulha numa mistura de thriller de horror psicológico, que causa mais angústia que medo. Ainda assim, não é um filme perfeito. Por mais que o diretor consiga rebolar para esquivar dos limites do orçamento, quando o filme se arrisca em efeitos visuais mais elaborados, a qualidade cai vertiginosamente. Sendo sincero, o filme nem foi capaz de fazer um incêndio real, o fogo foi de um digital muito mal feito. Tirando a protagonista, Chandra West, o resto do elenco não ganha muita destaque.

Podemos afirmar que o longa ganha pela criatividade dentro de suas limitações, e ainda é divertido. Em meio a tantos filmes tenebrosos, Amizade Maldita surpreende.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here