Mais de sessenta anos do seu lançamento, “A Revolução dos Bichos” ainda se encontra como um dos livros mais lidos.

Cabaret dos Bichos
Foto: Laerte Késsimos

Um dos maiores escritores do século, Orwell faz um duro retrato sobre o relacionamento do poder com o indivíduo e da sociedade e seus processos. em “A Revolução dos Bichos”,  aque ganha versão musical em “Cabaret dos Bichos”. A peça se passa numa granja liderada, inicialmente, pelo Sr. Jones. Porém, insatisfeitos com a dominação, os animais decidem fazer uma revolução.

Mais de sessenta anos depois de lançada, “A Revolução dos Bichos” mantém o viço e o brilho de uma alegoria perene sobre as fraquezas humanas que levam à corrosão dos grandes projetos de revolução política. Chega a ser irônico que o escritor, para fazer esse retrato cruel da humanidade, tenha recorrido aos animais como personagens. Surpreendentemente, de certo modo, a inteligência política que humaniza seus bichos é a mesma que animaliza os homens.

Dirigida por Zé Henrique de Paula, com músicas originais de Fernanda Maia, “Cabaret dos Bichos” é um musical com linguagem inspirada nos cabarés alemães, fortemente referenciados em Bertolt Brecht e Kurt Weil.

“A Revolução dos Bichos” é, certamente, uma fábula sobre o poder. Escrito em plena Segunda Guerra Mundial, o romance é uma alegoria sobre a ambição e a fraqueza humanas, que acabam por sabotar qualquer projeto político mais justo e igualitário. Setenta e cinco anos após sua publicação, surge novamente nas prateleiras das livrarias como um best seller, diante da ascensão das ditaduras ao redor do mundo.

 Aliás, uma curiosidade que prova que Orwell continua em alta mesmo: uma lista, feita pela Nielsen Bookscan (plataforma de dados para o setor de publicação de livros) a pedido do jornal Estadão, mostrou que “A Revolução dos Bichos” e “1984” são as únicas obras de ficção que aparecem entre os 15 livros mais vendidos na quarentena entre 23 de março e 12 de julho de 2020.

A temporada de “Cabaret dos Bichos” acontece de 1º de outubro a 5 de novembro com sessões gratuitas diárias pelo canal do Núcleo Experimental no Youtube às 19h. Com classificação indicativa de 10 anos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here