Uma Marisa Monte como você nunca viu, numa versão, certamente, mais intimista e despojada de uma das maiores cantoras e compositoras do Brasil. É isso que oferece o especial musical “Portas e Janelas”, que chega ao Globoplay no dia 22 de outubro. Produzido pela equipe do programa ‘Conversa com Bial’, o projeto é a mais nova obra a ter o selo Conversa.doc.

PortasNo especial, Marisa canta quatro músicas de “Portas”, seu novo disco: “Calma”, “Pra Melhorar”, “Quanto Tempo” e a faixa que dá título ao álbum. Aliás, nesses musicais, ela é acompanhada por três grandes parceiros: Pretinho da Serrinha, Dadi Carvalho e Davi Moraes. Além disso, o especial também mostra Marisa de um jeito raramente visto: cantando sozinha – ao violão, ao piano ou à capela – e relembrando histórias de músicas que marcaram sua formação e sua trajetória artística.

Nesse grupo de canções, estão “Menino Bonito”, de Rita Lee, uma das primeiras que ela aprendeu a tocar no violão; “Eu Amo Você”, composição de Cassiano que ficou famosa na voz de Tim Maia; “Alto Falante”, de Moraes Moreira; e “Nascer e Florescer”, de Monarco – além de sucessos de Marisa e dos Tribalistas. Ao tocar essas canções, Marisa relembra a influência que recebeu do soul brasileiro, dos Novos Baianos e da Portela, entre outras referências.

O especial mostra uma situação inédita até mesmo para os maiores fãs da cantora: Marisa tocando piano em “Totalmente Seu”, faixa de seu novo disco. “É como se a Marisa estivesse em casa, cantando para os amigos. A gente se sentiu no meio dessa roda musical. Acredito que os espectadores também vão ter essa sensação”, diz Mônica Almeida, diretora artística do projeto.

O conceito de “Portas e Janelas” foi criado pelo diretor geral do projeto, Gian Carlo Bellotti, que conta, “A gente queria mostrar as portas abertas pelo seu novo disco, que é uma reação dela a esse momento em que estivemos isolados, e também as janelas que esse trabalho descortina para suas memórias afetivas e musicais”.

Para dar conta desse conceito, o diretor geral escolheu como locação um palacete abandonado do século 19, no bairro do Alto da Boa Vista, no Rio de Janeiro. A equipe distribuiu objetos e plantas pelo casarão, como se ele tivesse sido tomado pela vegetação ao longo do tempo, o que serviu de metáfora visual para mostrar a vida que resiste ao enclausuramento. Além disso, a artista plástica Marcela Cantuária, que criou a capa e o conceito visual de “Portas”, fez uma pintura especialmente para o projeto em um dos ambientes da locação.

Além dos musicais, “Portas e Janelas” traz os melhores momentos de duas longas entrevistas de Marisa à equipe do ‘Conversa com Bial’ – incluindo a primeira entrevista presencial conduzida por Pedro Bial desde o começo da pandemia do Coronavírus e exibida em agosto no programa.

Já a segunda entrevista foi conduzida por Ricardo Calil, da equipe do ‘Conversa com Bial’, que assina o roteiro final do especial. “A Marisa foi muito generosa ao falar sobre os artistas que a inspiram, sobre as canções que ela ama. Ela acabou cantando e tocando muito mais músicas do que a gente tinha previsto no roteiro. Foi um privilégio para a equipe. E acho que vai ser um presente para o público”, diz Calil.

“Portas e Janelas” é o terceiro especial musical com o selo do Conversa.doc para o Globoplay. Realizado pelo núcleo de Mariano Boni, diretor de gênero de Variedades da Globo, o projeto tem direção artística de Mônica Almeida, direção-geral de Gian Carlo Bellotti e roteiro final de Ricardo Calil.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here