Mauricio Pazz
Foto: Mariana Ser

Como desdobramento da série audiovisual “Cor do Som – Memórias da Música Negra”, Mauricio Pazz convida Walmir Gil, fundador da aclamada Banda Mantiqueira e um dos mais notáveis trompetistas brasileiros, para uma série de apresentações on-line.

Nesse projeto, transmitido pelo YouTube, os universos da canção e da música instrumental se entrelaçam em um potente encontro de gerações, guiadas por diversos sotaques das sonoridades afro-diaspóricas.

Para o repertório, dividido em três eixos intitulados “Memória”, “Movimento” e “Leveza”, faixas como “Para Bonga e Bogum”, “Sarau para Alforria” e “Aiai meu bem” estão entre os destaques.

“Nas minhas pesquisas acadêmicas me deparei, várias vezes, com a escassez de registros disponíveis e acessíveis sobre a carreira de musicistas instrumentistas pretes. Quando esses artistas superam a barreira do anonimato, aparecem na condição de “gênios” cujo talento é quase sempre atribuído ao “instinto” que os guia arbitrariamente e não ao aprimoramento da técnica e de suas capacidades criativas de produção e execução. Inquietante, né? Foi aí que “Cor do Som” surgiu, como série documental. O objetivo é justamente valorizar e publicizar a trajetória da produção artística e intelectual de músicos negros que, por efeito do racismo, têm suas histórias apagadas, bem como sua produção pouco (re)conhecida. Depois do documentário, amplio essa reflexão com um espetáculo lindo, leve e de extrema importância”.

Somando na banda base, Allan Abbadia (trombone), Cauê Silva (percussões), Fábio Leandro (pianos acústico e elétrico), Rudson Daniel (percussões) e Vanessa Ferreira (contrabaixos acústico e elétrico). Já no bandolim, cavaco, guitarra, violão, violão tenor .

SERVIÇO
COR DO SOM: Maurício Pazz convida Walmir Gil
3, 4, e 5 de dezembro
Horários: Sexta e sábado às 21h e domingo às 20h
Transmissão pelo YouTube 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here