Mansão FignerO Sesc RJ reabrirá nesta sexta-feira (28/1), às 17h, o Espaço Cultural Arte Sesc, localizado na Mansão Figner, no bairro do Flamengo. O casarão de estilo eclético, que fica em frente à sede administrativa da instituição, na rua Marquês de Abrantes 99, passou por uma reforma estrutural, restauração e agora está apto a receber exposições artísticas. A mostra inaugural é “Notícias do Brasil: Carybé, Cícero Dias e Glauco Rodrigues”.

Com curadoria de Marcelo Campos e Pollyana Quintella, a exposição tem como proposta provocar a reflexão sobre a visão identitária que acompanhou o modernismo brasileiro no ano em que se comemora os 100 anos da Semana de Arte Moderna de 1922. Aliás, no conjunto das obras, afirma o curador, é possível perceber um Brasil de forte tradição popular, nas festas, nas relações interétnicas, nas vendedoras de tabuleiro, nas janelas e sacadas dos sobrados coloniais.

“Carybé, Cícero Dias e Glauco Rodrigues noticiaram um Brasil por entre as frestas das janelas, nas praças públicas, nas festas de largo. E, assim, escancararam singularidades étnico raciais, tanto em personagens quanto nos fatos culturais que vão das tradições afro-religiosas, do catolicismo popular à prostituição. Esses artistas, certamente, perceberam que o país do futuro já se desenhava pelos avessos da história. Seus heróis advêm do povo. Seus afetos se revelam através das janelas, nos interiores das casas. Suas praças são repletas de comércios informais, vendedoras de acarajé, na compra e venda do pescado”, reflete Marcelo Campos.

Além da exposição “Notícias do Brasil: Carybé, Cícero Dias e Glauco Rodrigues”, a Mansão Figner contará com um mural com cerca de 30 metros de autoria do jovem artista carioca Miguel Afa. Na obra, ele retrata o cotidiano de criação de seu filho por um pai negro.

“Poder se debruçar sobre a coleção de obras de arte do Sesc RJ é vislumbrar um acervo que apresenta nomes notáveis da arte brasileira, principalmente, em torno de gravuras”, aponta o curador Marcelo Campos, que também está responsável por criar recortes curatoriais que serão levados adiante a partir desta primeira exposição.

Construída em 1912, a Mansão Figner tombada pelo Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH) foi moradia do empresário tcheco Frederico Figner (1866-1947), pioneiro da indústria fonográfica no Brasil e fundador da Casa Edison, que revendia equipamentos de som e luz como fonógrafos, gramofones e kinetoscópios, e criador da primeira gravadora musical do Brasil, a Odeon.

Além disso, o local contará com atividades educativas destinadas ao público adulto e infantil. O espaço cultural do Sesc RJ, que ganhará também um bistrô com cardápio assinado pelo chef Frédéric Monier, funcionará de segunda a sábado, do meio-dia às 19h, com entrada franca.

“A reabertura da unidade Arte Sesc significa proporcionar ao público o acesso a um patrimônio histórico da cidade e também mais uma opção de lazer e cultura para as pessoas que circulam diariamente pela região”, afirma o presidente do Sistema Fecomércio RJ (Sesc RJ e Senac RJ), Antonio Florencio de Queiroz Junior.

SERVIÇO
Exposição “Notícias do Brasil: Carybé, Cícero Dias e Glauco Rodrigues”
Rua Marquês de Abrantes 99, Flamengo
Visitação: de segunda a sábado, das 12h às 19h
Grátis / Livre

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here