Obra de de Tony Kushner ganha nova montagem.

"Angels in America"
Foto; João Gabriel Monteiro

Considerada por muitos estudiosos como o texto teatral mais importante dos últimos 50 anos, “Angels in America”, de Tony Kushner, volta aos palcos cariocas, com versão cênica de Paulo de Moraes.

“Angels in America” se passa na década de 80, em Nova York, durante a chamada Era Reagan e quando a AIDS assola a cidade. Mas Nova York aqui pode ser qualquer um desses lugares densamente povoados, lotados, onde é fácil pensar que a pessoa ao seu lado no metrô ou no elevador, ou mesmo na cama, pode estar do outro lado do mundo. Há uma pressa, uma urgência, nesse ir e vir constante da grande cidade que parece não permitir o tempo estendido de se conectar ao outro. Por conta disso, as personagens arrebatadas de Tony Kushner tentam fazer contato dentro deste abismo.

Deus abandonou o paraíso. Na terra – mais especificamente na cidade de Nova York – um novo profeta está para surgir. O ano é 1985, o milênio se aproxima rapidamente, e Prior Walter (Jopa Moraes) é o profeta que se erguerá dos destroços deste terrível século. Mas ele tem problemas maiores. Com apenas trinta anos, acaba de ser diagnosticado com AIDS. Sozinho no apartamento, Prior – o profeta – tem sonhos febris onde ouve uma voz angelical que chama por ele. Paralelo a isso, o famoso advogado Roy Cohn (uma figura que realmente existiu) também recebe de seu médico a notícia de que está com AIDS. Perverso e ultraconservador, esconde sua homossexualidade e sua doença.

Já Joe (Rainer Cadete), é um advogado mórmon que trabalha no Tribunal de Apelação como chefe de gabinete há cinco anos. Ele é pupilo de Roy, que lhe oferece um cargo importante no Departamento de Justiça em Washington, para que Joe o beneficie em um processo que visa expulsar Cohn da Ordem dos Advogados. Joe se vê dividido entre a carreira e seus princípios éticos. Além disso, seu casamento com Harper (Lisa Eiras) não vai nada bem. A criação religiosa fez com que Joe nunca assumisse sua homossexualidade e, para aplacar a depressão da relação, Harper ingere quantidades enormes de Valium, buscando refúgio em suas alucinações.

 O que fazer diante de um sofrimento arrasador? Como sobreviver a uma época monstruosa? É preciso parar ou devemos manter as nossas vidas em constante movimento?

“Angels in America” é composto de “O Milênio se Aproxima” (parte 1) e “Perestroika” (parte 2), o texto de Tony Kushner recebeu os principais prêmios da dramaturgia americana, incluídos aí os prestigiados Tony Award, Drama Desk Award e Pulitzer Prize.

Serviço
Temporada de 28 de abril a 8 de maio
Quintas, sextas, sábados e domingos
Teatro Prudential: Rua do Russel, 804, Glória, Rio de Janeiro – Edifício Manchete
Funcionamento da bilheteria: terça a sábado das 12h às 20h, domingos e feriados das 12h às 19h.
Ingressos pela Sympla
Lotação: 359 lugares
Classificação: 16 anos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here