Depois de dois anos fora dos palcos por conta da pandemia, Maria Rezende volta ao placo do Manouche, com “Mulher Multidão”.  No dia 21 de junho, Maria Rezende  apresenta seu espetáculo de poesia falada todo centrado no universo feminino.

A artista, que roteirizou e dirigiu o texto, revela em cena, as forças e fragilidades da mulher contemporânea. Com um viés feminista, profundo e descontraído, Maria diz poemas sobre amor próprio, relacionamento abusivo, estupro e a relação com o próprio corpo. Para isso ela reúne poemas autorais e outros de grandes nomes e novos talentos da poesia brasileira como Adélia Prado, Elisa Lucinda, Viviane Mosé, Mel Duarte e Marina Colasanti.

“Quero jogar luz sobre a constante pressão sofrida pelas mulheres, os ideais inatingíveis de beleza, a exigência da perfeição do corpo e da juventude, a inequidade salarial, a transformação do desejo de “poder ser tudo” na obrigação de “ter que ser tudo”, a violência física, sexual, moral, e também a força do feminino e a delicadeza dos afetos”, enumera Maria.

“Mulher Multidão” é um verso do poema “Pulso aberto”, escrito por Maria inspirada na obra do uruguaio Eduardo Galeano: “Somos as que evitam o desastre / as que inventam a vida as que adiam o fim/ mulher, multidão”.

Serviço:
Mulher Multidão – um espetáculo de Maria Rezende
Clube Manouche: Jardim Botânico , 983, Jardim Botânico, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Dia e horário: 21 de Junho, terça- feira, às 20:30h abertura às 19:30 com cardápio de aperitivos e drinks da Casa Camolese
Ingressos pelo site!
Lotação: 100 pessoas
Duração: 50 minutos
Classificação indicativa: 14 anos

Obs: Os ingressos são vendidos apenas pelo site de venda de ingressos ou na bilheteria, na hora do espetáculo, caso ainda haja ingressos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here