De 11 a 16 de
setembro, o evento presentará no Theatro Carlos Gomes nove mostras competitivas
e terá como grande homenageado o ator Matheus Nachtergaele
  
A 22ª edição do encontro anual do Espírito Santo com o cinema, o Festival
de Cinema de Vitória
, terá o seu pontapé inicial no próximo dia 11. Durante
seis dias, mais de 100 filmes serão exibidos em diversas mostras e concorrerão
ao Troféu Vitória em diferentes categorias e a premiações extras (ver
lista dos filmes no final do release)
. A programação – gratuita – contará
com sessões no Theatro Carlos Gomes e no Cineclube Metrópolis, além de
oficinas, lançamentos e debates no Hotel Senac Ilha do Boi. Este ano, o
Festival homenageia os atores José Augusto Loureiro (homenageado capixaba) e
Matheus Nachtergaele (homenageado nacional); o cineasta Luiz Carlos Lacerda
(conhecido como Bigode), que completa 50 anos de carreira e o diretor de cinema
capixaba Penna Filho, falecido este ano. A estimativa é de que o evento
movimente um público de 30 mil pessoas.

Lucia Caus, diretora do Festival, ressalta a importância do evento para o
audiovisual nacional, tanto para realizadores como para o público: “O
Festival é uma vitrine para as novas produções do cinema brasileiro, fazendo-as
chegar à população de Vitória, e também uma oportunidade de intercâmbio e
reciclagem dos profissionais do Espírito Santo”.

Os títulos que serão exibidos contemplam os gêneros documentário, ficção e
animação, em curta e longa-metragem, e foram escolhidos entre cerca de 650
produções inscritas vindas de todo o Brasil. Serão nove mostras competitivas
que atendem aos mais diversos gostos. São elas: a 19ª Mostra
Competitiva Nacional de Curtas
; a 5ª Mostra Competitiva Nacional de
Longas
; a 4ª Mostra Foco Capixaba, com o melhor do cinema
local; a 4ª Mostra Corsária, com filmes que apresentam pesquisas de
linguagem da estética cinematográfica; a 5ª Mostra Quatro Estações,
com produções que abordam a temática da diversidade sexual; o 16º
Festivalzinho de Cinema
, voltado para o público infanto-juvenil; a
Mostra de Animação
, com o melhor do cinema brasileiro de animação; a Sessão
Especial BNDES
 (curtas), com exibição de uma série de
curtas-metragens; e a 2ª Mostra Outros Olhares, com oito curtas
capixabas.

Além dessas, haverá as sessões especiais, com exibição de longas-metragens fora
de competição, todas no Theatro Carlos Gomes: Sessão Especial Petrobras,
com exibição de“A Luneta do Tempo”, de Alceu Valença, na
abertura do Festival; Sessão Especial BNDES (longa), com o
filme “Trinta”, de Paulo Machline, com o homenageado
Matheus Nachtergaele como protagonista; Sessão Especial Viradão Vitória,
que acontecerá na madrugada de sábado (12/09) para domingo (13/09), dentro da
programação do Viradão Vitória, com exibição de “O Animal
Sonhado”, de Breno Baptista, Luciana Vieira, Rodrigo Fernandes, Samuel
Brasileiro, Ticiana Augusto Lima e Victor Costa Lopes
;Sessão Homenagem a
Penna Filho
, com a exibição do último filme do diretor, “Das
Profundezas”
; e Sessão Especial de Encerramento, com a
projeção de “Teobaldo Morto, Romeu Exilado”, de Rodrigo de
Oliveira
, que tem coprodução da Galpão Produções. O Festival trará ainda
para o público de Vitória o longa-metragem “Sangue Azul”, de
Lírio Ferreira
, em exibição de caráter especial, na segunda-feira (14/09),
às 14h.

A maratona cinematográfica será encerrada na noite de 16 de setembro e incluirá
a apresentação dos filmes vencedores das duas últimas edições do Concurso de
Roteiro Capixaba – “Talvez Amanhã”, de Jeffe Pinheiro, vencedor em
2013, e “Intenso”, de Ricky Oliveira, autor do roteiro premiado no
ano passado – e também o lançamento do curta “João”, de Carlos
Augusto de Oliveira. Neste mesmo dia, ao final das exibições, serão anunciados
os ganhadores do Troféu Vitória em mais de 20 categorias, escolhidos por um
júri formado por profissionais da área cinematográfica e também pelo júri
popular. São curadores do 22º Festival de Cinema de Vitória o professor
universitário e pesquisador Erly Vieira Jr.; o diretor e crítico de cinema
Rodrigo de Oliveira; e a programadora audiovisual Rosemeri Barbosa.

JANELA AMPLA PARA O CURTA-METRAGEM
No total, 16 curtas farão sua estreia no 22º Festival de Cinema de Vitória.
Além disso, há produções que se destacaram internacionalmente, como os dois
curtas exibidos em competições do Festival de Cannes: “Quintal”, de
André Novais de Oliveira (Quinzena dos Realizadores 2015), e “Sem
Coração”, de Nara Normande e Tião (Quinzena dos Realizadores 2014), que
recebeu o Prêmio de Melhor Curta-Metragem. “A Festa e os Cães”, de
Leonardo Mouramateus, levou o prêmio de Melhor Curta-Metragem no 37º Cinéma du
Réel, festival sediado em Paris, e o documentário “Dorsal”, de Carlos
Segundo e Cristiano Barbosa, foi exibido no Visions du Réel 2015, tradicional
festival suíço.

O filme “Eu Queria Ser Arrebatada, Amordaçada e, Nas Minhas Costas,
Tatuada”, de Andy Malafaia, ficção protagonizada pela atriz capixaba
Fabíola Buzim, também está entre os selecionados. A obra está na seleção
oficial do Festival des Filmes du Monde Montreal 2015, no Canadá, e já conta
com participação em mais de dez festivais estrangeiros. Também foram escolhidas
para o 22º Festival de Cinema de Vitória as produções “A Copa do Mundo no Recife”,
de Kleber Mendonça Filho, e “Nova Dubai”, de Gustavo Vinagre, que
foram exibidas no 44º Festival Internacional de Rotterdam; e a ficção “Eu
Não Digo Adeus, Digo Até Logo”, de Giuliana Monteiro, filme selecionado
pelo 64º Festival Internacional de Berlim.

Entre os filmes capixabas, 20 curtas fazem parte da seleção, a exemplo dos
novos trabalhos de Gabriel Perrone, André Ehrlich Lucas e Virgínia Jorge,
cineastas que já participaram da mostra competitiva do Festival em outros anos,
e da estreia na direção de Rubiane Maia, cujo curta-metragem “Evo” é
o único capixaba selecionado para o Festival de Curtas de São Paulo, na mostra
competitiva nacional.

Este ano, pela primeira vez Vitória vai oferecer o Prêmio Canal Brasil de
Curtas, realizado nos maiores festivais de cinema do país (como Gramado,
Brasília e Recife, entre outros) desde 1998, com o objetivo de incentivar a
produção, a exibição e a divulgação de curtas-metragens nacionais. Para
escolher o melhor filme em competição, o Canal Brasil reúne durante os
festivais júris compostos por jornalistas e críticos de cinema. O vencedor é
exibido na grade de programação do canal a cabo e recebe R$ 15 mil, além do
Troféu Canal Brasil. Desde 2006, os ganhadores são classificados para o Grande
Prêmio Canal Brasil de Curtas, no valor de R$ 50 mil reais. Ao longo de todos
esses anos, o canal já distribuiu mais de R$ 1,3 milhão em prêmios para
curtas-metragens.

MOSTRA COMPETITIVA NACIONAL DE LONGAS 
Caminhando para a sua 5ª edição, a Mostra Competitiva Nacional de Longas
exibirá cinco filmes. Entre as obras selecionadas, está “Ela Volta na
Quinta”, de André Novais Oliveira, filme mineiro que participou de
diversos festivais, como 25th FID Marseille, Festival du Nouveau Cinema de
Montreal, 18ª Mostra de Cinema de Tiradentes, 47º Festival de Brasília do
Cinema Brasileiro, IFFRotterdam, Ficunam e BAFICI, e ganhou prêmio de Melhor
Filme pelo Panorama Coisa de Cinema e Semana dos Realizadores, entre
outros.

Vindo de São Paulo, “Sinfonia da Necrópole”, de Juliana Rojas, também
integra a competição. Esse filme participou de festivais dentro e fora do país,
tais como IV Paulínia Film Festival, vencendo o prêmio de Melhor Trilha Sonora;
42º Festival de Cinema de Gramado, levando o prêmio de Melhor Longa-Metragem
pelo Júri da Crítica; 38ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo; 29º
Festival Internacional de Cine de Mar Del Plata (Argentina), com o prêmio de
Melhor Filme da Competição Latino-americana da Federação Internacional da
Imprensa Cinematográfica; 18ª Mostra de Cinema de Tiradentes; 38º Göteborg Film
Festival (Suécia); 20th Vilnius Film Festival (Lituânia); 33º Festival
Cinematográfico Internacional del Uruguay (Uruguai), entre outros.

Na competição, o cinema de terror estará representado por “As Fábulas Negras”,
de Rodrigo Aragão, Joel Caetano, Petter Baiestorf e José Mojica Marins, filme
do Espírito Santo que já participou de festivais este ano, como 18ª Mostra de
Cinema de Tiradentes, Horrorant Film Fest (Grécia), Fantaspoa (Porto Alegre) e
Nocturna (Espanha). Outra ficção da Mostra Nacional de Longas é “Nervos de
Aço”, de Maurice Capovilla, do Rio de Janeiro, exibida na 18ª Mostra de
Cinema de Tiradentes e exibida no encerramento do 24º Cine Ceará. Único
documentário em competição, “Mais do Que eu Possa Me Reconhecer”, de
Allan Ribeiro, também do Rio, encerra a lista de longas-metragens selecionados.
O filme participou da 18ª Mostra de Cinema de Tiradentes, levando o prêmio de
Melhor Filme da Mostra Aurora.

HOMENAGEADOS
O 22º Festival de Cinema de Vitória terá como homenageado nacional o ator
Matheus Nachtergaele e, como homenageado local, o ator capixaba José Augusto
Loureiro. Paulistano e nascido em 1969, Matheus Nachtergaele tem uma carreira
reconhecida no teatro, cinema e televisão. No início da década de 1990, ele
ganhou notoriedade por seu trabalho com a companhia Teatro da Vertigem, sob a
direção de Antonio Araújo, destacando-se por sua atuação no espetáculo
“Livro de Jó”. Em 1997, fez sua estreia no cinema em “O Que é
Isso, Companheiro?” (1997), de Bruno Barreto, ao mesmo tempo em que
aparece na televisão na série “A Comédia da Vida Privada”.

No ano seguinte, Nachtergaele foi escalado para interpretar o travesti Cintura
Fina na minissérie global “Hilda Furacão”, o que lhe rendeu
reconhecimento nacional que veio a ser consolidado com o personagem João Grilo,
na minissérie transformada em filme “O Auto da Compadecida”, uma
adaptação da obra de Ariano Suassuna. Paralelamente à trajetória na televisão,
Matheus traçou um longo caminho no cinema, participando de mais de 30 filmes,
entre os quais estão “Amarelo Manga” (2003), “Baixio das
Bestas” (2007) e “Febre do Rato” (2011), de Cláudio Assis,
“Central do Brasil” (1998), de Walter Salles, “Cidade de Deus”
(2002), de Fernando Meirelles, e “Trinta” (2014), filme dirigido por
Paulo Machline e no qual o ator vive o papel do carnavalesco Joãosinho Trinta.
Sua última participação no cinema foi no longa-metragem “Sangue Azul”
(2014), de Lírio Ferreira. Como diretor, estreou no premiado “A Festa da
Menina Morta” (2008).

José Augusto Loureiro é natural de Santa Tereza, município da região serrana do
Espírito Santo, e tem 52 anos de carreira como ator, com participações em cerca
de 70 trabalhos em teatro, cinema e televisão. Na telona, fez parte do elenco
de filmes de curta e longas-metragens, entre eles, “Vagas Para Moça de
Fino Trato” (1993) e “Policarpo Quaresma, O Herói do Brasil”
(1998), ambos dirigidos por Paulo Thiago. No teatro, encenou a peça “Os
Coveiros”, ao lado de Ednardo Pinheiro (in memoriam), que foi apresentada
nos palcos capixabas por cerca de 13 anos. José Augusto foi o mantenedor do
Teatro Galpão, espaço que funcionou entre 1991 e 2000 na Av. Nossa Senhora da
Penha, Vitória, possibilitando a estreia e permanência em temporadas de
espetáculos de grupos locais, nacionais e internacionais.

OUTRAS ATIVIDADES
Junto com as exibições, o 22º Festival de Cinema de Vitória ainda promove o 2º
Concurso Nacional de Web Séries, que premiará quatro novos realizadores com uma
imersão para desenvolvimento de web série ministrada pela equipe da TV
Cocriativa. O evento ainda contará com oficinas de formação na área
audiovisual, debates, lançamentos de publicações e encontros com pesquisadores
de cinema, realizadores e o público em geral.

O 22º Festival de Cinema de Vitória é uma realização da Galpão Produções e do
Instituto Brasil de Cultura e Arte (IBCA) e conta com o patrocínio do
Ministério da Cultura através da Lei Rouanet, da Petrobras, do Banco Nacional
de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Rede Gazeta, com parceria da
da Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo e da Prefeitura Municipal
de Vitória, além do apoio institucional do Instituto Sincades e do apoio do
Canal Brasil, CiaRio, DOT, Mistika, Cinecolor, Link Digital, Cesan, Ufes, Sebare
e site Adoro Cinema.

SERVIÇO
22º Festival de Cinema de Vitória
Data: de 11 a 16 de setembro
Entrada franca
Locais:
– Theatro Carlos Gomes – Centro – Vitória
– Cineclube Metrópolis – Ufes – Vitória
– Hotel Senac Ilha do Boi – Ilha do Boi – Vitória

PROGRAMAÇÃO COMPLETA NO SITE: 
www.festivaldevitoria.com.br

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here