Vinte anos após o lançamento de “Roots”, o sexto álbum da carreira do Sepultura venceu o teste do tempo e se tornou uma grande referência mundial. Com show marcado para Dezembro no Imperator, os irmãos Cavalera resolveram homenagear este trabalho com uma turnê histórica tocando o álbum na íntegra.

O álbum que chegou à 27ª colocação nas paradas da “Billboard” e no 4º lugar na Inglaterra ganhou discos de ouro nos Estados Unidos, Austrália, Canadá, França, Áustria, Holanda e Reino Unido. Estima-se que o álbum tenha ultrapassado 2 milhões de cópias comercializadas no mundo.

A turnê passará por várias cidades do Brasil e da América Latina. O show não é um evento do Cavalera Conspiracy ou do Soufly, bandas de Max Cavalera, mas sim uma verdadeira celebração ao grande clássico da carreira dos músicos. Com mais de 2 milhões de cópias vendidas pelo mundo, “Roots” é referência musicalmente e pela inovação ao misturar elementos brasileiros.

Produzido por Ross Robinson, a banda foi até uma tribo indígena para gravar a faixa “Itsári”, uma das músicas mais inovadoras da banda na época. Max Cavalera teve que convencer a gravadora Roadrunner, para então continuar com o projeto. Depois, entrou em contato com a jornalista Angela Pappiani, do Núcleo de Cultura Indígena, que já desenvolvia trabalhos com grupos indígenas. Em matéria do jornalista do UOL, Maurício Dehò, Angela conta como foi que tudo aconteceu.

Na época, Max achou que seria uma boa ideia tentar gravar com os caiapós, mas foi avisado de que eles não eram muito pacíficos. Depois de ouvirem uma música dos xavantes em um festival em Nova York, foram eles os escolhidos.

“O que o Sepultura fez foi muito inovador, e ninguém mais fez dessa forma. A decisão deles de ir lá, de não samplear, mas construir um trabalho junto foi muito inovadora”, afirma Angela ao UOL. “Houve um esforço muito grande em tudo. Sentimos resistência da gravadora, foi um processo de quase um ano do contato do Max até a ida à aldeia. E tudo o que aconteceu lá foi muito forte, marcou todo mundo, eles lembram e comentam até hoje”, disse Angela.

Com canções como “Roots Bloody Roots” e “Attitude”, o Sepultura atingiu seu ápice e influenciou toda uma nova geração. Com afinação baixa e muito peso, os brasileiros influenciaram bandas como Deftones, Slipknot, Limp Bizkit e muitas outras que citam até hoje a importância de “Roots”.

Datas no Brasil:
14/12/2016 – Max e Iggor Cavalera Return to Roots – Rio de Janeiro @Imperator
15/12/2016 – Max e Iggor Cavalera Return to Roots – Belo Horizonte @Musichall
16/12/2016 – Max e Iggor Cavalera Return to Roots – São Paulo @Tropical

Serviço:
Show Sepultura – Max e Iggor Cavalera Return to Roots
Dia: 14 de Dezembro
Horário: 19h
Local: Imperator (R. Dias da Cruz, 170 – Meier)
Classificação etária: 16 anos
Ingressos: 1º lote: R$ 180 (inteira) e R$ 90 (meia), 2º lote: R$ 220 (inteira) e R$ 110 (meia)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here