Com texto de Pedro Henrique Lopes, direção de Diego Morais e direção musical de Guilherme Borges, o musical infantil presta homenagem aos baianos Caetano Veloso e Gilberto Gil, dois ícones do movimento tropicalista e da música mundial, em uma história que enaltece a amizade e desperta o sentimento de responsabilidade social. Depois de ‘Luiz e Nazinha – Luiz Gonzaga para Crianças’, ‘O Menino das Marchinhas – Braguinha para Crianças’ e ‘Bituca – Milton Nascimento para Crianças’, o projeto apresenta, pela primeira vez, dois artistas em um mesmo musical. O espetáculo é apresentado pela Prefeitura do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, Companhia Caminho Aéreo do Pão de Açúcar, Atlântida Administradora de Imóveis e Logimex, através da Lei do ISS.

“Em Tropicalinha, vamos mostrar como a amizade e parceria profissional entre dois músicos deu origem à criação de um movimento cultural que influenciou e influencia até hoje as mais diversas manifestações artísticas”, explica o autor Pedro Henrique Lopes, sócio da Entre Entretenimento ao lado de Diego Morais. “Dos espetáculos, este é o que mais brinca com as possibilidades teatrais. No sentido de conseguir subverter o enredo em tramas lúdicas, personagens mais fantásticos, exagerados, tudo no tom descontraído, fazendo um paralelo com algumas manifestações artísticas do período da Tropicália”, acrescenta Diego, lembrando que o disco ‘Tropicalia ou Panis et Circencis’, lançado em 1968 como um manifesto musical do movimento, completa cinco décadas este ano.

O espetáculo conta a história do Reino de Pindorama, governado por uma rainha autoritária (Martina Blink), que toma o poder e baixa decretos proibindo a música e as cores no lugar. Dois amigos, Cae (Pedro Henrique Lopes) e Gil (Orlando Caldeira), se unem para trazer sons e cores de volta ao reino, em alusão ao movimento tropicalista. Também estão no elenco, Flora Menezes (Pobo), Hamilton Dias (Lindoneia) e Rafael de Castro (Juca). O musical não é biográfico, mas é inspirado em momentos vividos por Caetano Veloso e Gilberto Gil na juventude. No repertório, estão 43 músicas (completas e/ou trechos) compostas por eles individualmente ou em parceria, entre elas Tropicália, Força estranha, Alegria, alegria, Vamos fugir, Andar com fé, Divino Maravilhoso, Expresso 2222 e Você é linda.

 “Tropicalinha – Caetano e Gil” para crianças é o quarto espetáculo do projeto “Grandes Músicos para Pequenos”, que nasceu em 2013 com o musical Luiz e Nazinha – Luiz Gonzaga para Crianças. “A ideia é trazer o legado de uma cultura quase esquecida para as novas gerações, com um conteúdo atraente para as famílias”, descreve Pedro Henrique Lopes, autor das peças do projeto. “Queremos criar experiências de entretenimento inesquecíveis e marcantes, onde o espectador participe de forma ativa”, explica o diretor Diego Morais.

Serviço:
Tropicalinha – Caetano e Gil para Crianças
Temporada: De 18 de agosto a 9 de setembro
Teatro XP Investimentos: Av. Bartolomeu Mitre, 1.110- B – Gávea – Rio de Janeiro
Dias e horários: Sábados e domingos, às 16h
Ingressos: R$ 60 e R$ 30 (meia-entrada)
Lotação: 366 pessoas
Duração: 55 minutos
Classificação: Livre
Funcionamento da Bilheteria: Terça-feira, das 13h às 17h, Quarta a sexta-feira, das 17h às 21h, Sábados, das 13h30 às 21h e Domingos, das 13h30 até a hora do espetáculo em cartaz.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here