“Todo Artista é um Impostor • Antologia de Videopoemas” reúne um conjunto de obras do artista Lula Wanderley que perfazem três décadas de produções videográficas e fotográficas.

A obra de Lula é fortemente influenciada pelo universo das linguagens midiáticas, a TV, o cinema e a fotografia, assim como pela literatura experimental, particularmente o movimento do poema//processo do qual o artista foi próximo. Usando a lógica da colagem como método e base de seu trabalho, Lula se apropria de imagens emblemáticas que habitam o imaginário popular, manipulando e transformando seu sentido.

Algumas vezes irrompe literalmente dentro da cena (como por exemplo no trabalho que dá título à exposição “Todo Artista é um Impostor” (2008) onde, substituindo Humphrey Bogart nos momentos mais dramáticos de Casablanca, contracena com a atriz Ingrid Bergman); outras vezes materializa magicamente metáforas como a frase dita por Nelson Rodrigues, que dá título à obra: “A Arte é o Futebol sem Bola” (2002), no qual Lula Wanderley manipula as imagens de um gol extraordinário de Maradona contra a França tirando a bola da sequência e revelando a fantástica dança do grande jogador no espaço do campo de futebol.

Além disso, as paródias se sucedem em seus trabalhos de forma provocadora como no recém finalizado vídeo Inquiet’Amor (2022) no qual substitui a fala das grandes artistas brasileiras Tarsila do Amaral, Lygia Clark, Lygia Pape e Clarice Lispector, em diferentes entrevistas, por reflexões dissonantes sobre o amor.

A mostra reúne 10 obras em vídeo de diferentes épocas, inúmeras fotografias, objetos e instalações. Ocupa quatro salas de exposição do primeiro andar do CCJF.

Serviço:
Visitação de 26 de março a 22 de maio de 2022
Horário: de terça a domingo das 11h às 19hs.
O CCJF é localizado na Cinelândia, em um prédio histórico onde funcionou durante décadas o Supremo Tribunal Federal, na Av. Rio Branco.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here