Magote
Foto: Caiano Midam

Em “Magote”, seis artistas acrobatas, malabaristas, bailarinos, performances, cômicos e circenses unem seus corpos em cena para formar imagens divertidas que vão desde um organismo microscópico, uma colônia de células, o movimento orbital de planetas no espaço e até o trânsito das grandes metrópoles. Essas ilustrações estruturadas pela acrobacia de solo, parada de mão e acompanhadas de malabarismos trazem uma importante reflexão: até onde podemos chegar se o investimento for coletivo, a escuta for exercitada e as individualidades forem potencializadas?

Magote é um substantivo masculino que significa o ajuntamento de pessoas ou coisas; bando, multidão, amontado, porção. É isso que acontece no espetáculo dirigido por Fábio Freitas: o encontro de seis artistas acrobatas, malabaristas, bailarinos, performances, cômicos e circenses que – por meio de técnicas e ludicidade – unem seus corpos em cena para formar imagens divertidas que vão desde um organismo microscópico, uma colônia de células, o movimento orbital de planetas no espaço e até o trânsito das grandes metrópoles. Essas imagens estruturadas pela acrobacia de solo, parada de mão e acompanhadas de malabarismos trazem uma importante reflexão: até onde podemos chegar se o investimento for coletivo, a escuta for exercitada e as individualidades forem potencializadas?

“As técnicas acrobáticas possibilitam subverter as normas da gravidade, virar de cabeça para baixo, ser lançado pelo ar, o risco se faz um elemento próprio da dramaturgia do circo. Trabalhar em cima das técnicas circenses é jogar com a superação e, trabalhando em grupo, lidar com a confiança”, enfatiza Helena Heyzer, atriz e coordenadora do projeto.

Além disso,  oficinas gratuitas serão oferecidas pelo grupo trabalham com fundamentos e técnicas do circo associadas aos aspectos subjetivos presentes no espetáculo e em nosso cotidiano: o risco, o medo, a cooperação, a confiança, a superação e a celebração. Para participar, basta comparecer aos locais de realização e seguir a classificação indicativa descrita na programação abaixo.

CIRCULAÇÃO MAGOTE
Quando: De 05/07 a 17/07
Ingresso: Gratuito
Duração: 60 minutos
Faixa etária: livre
Programação:
DIA 05/07 – Arena Chacrinha, Pedra de Guaratiba
Espetáculo: às 15h (com intérprete de LIBRAS e bate-papo após a apresentação)
Endereço: Rua: Sd. Elizeu Hipólito, s/n – Pedra de Guaratiba
**Oficina: Do risco ao riso
Hora: às 10h
Público-alvo: de 12 a 17 anos
DIA 09/07 – Arena Dicró, Penha
Espetáculo: às 19h (bate-papo após a apresentação)
Endereço: Rua: Flora Lôbo, 184 – Penha Circular.
**Oficina: Do risco ao riso
Hora: às 10h
Público-alvo: de 12 a 17 anos
DIA 10/07 – Arena Dicró, Penha
Espetáculo: às 18h (com intérprete de LIBRAS)
Endereço: Rua: Flora Lôbo, 184 – Penha Circular.
Oficina: Circo na área
Hora: às 10h
Público-alvo: jovens e adultos a partir de 12 anos.
DIA 15/07 – CCO, Tijuca
Espetáculo: às 19h (bate-papo após a apresentação)
Endereço: José Higino, 115 – Tijuca.
Oficina: Construindo Magote
Hora: às 10h
Público-alvo: jovens e adultos estudantes de artes a partir de 15 anos.
DIA 16/07 – CCO, Tijuca
Espetáculo: às 19h
Endereço: Rua: José Higino, 115 – Tijuca.
**Oficina: Construindo Magote
Hora: às 10h
Público-alvo: Jovens e adultos estudantes de artes a partir de 15 anos.
DIA 17/07 – CCO, Tijuca
Espetáculo: às 19h (com intérprete de LIBRAS)
Endereço: Rua: José Higino, 115 – Tijuca.
**Oficina: Circo na área.
Hora: às 10h
Público-alvo: jovens e adultos a partir de 12.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here