Sabe aquele tipo de filme que envolve o espectador pelas crônicas reais do personagem, PATTI CAKE$ carrega em sua trama dramática e cheia de humor,  com batimentos inesquecíveis, uma história de superação com atuações de primeira linha. O filme ganha forma e se destaca com um elenco pouco conhecido e com muito talento. Danielle Macdonald é uma aspirante a rapper de New Jersey que sonha em fazer fama e fortuna com as suas rimas, mas, enquanto esse dia não chega, ela enfrenta o ambiente hostil e competitivo do mundo do hip-hop.

Primeiro longa-metragem do aclamado diretor comercial e musical,  Geremy Jasper é uma produção indie (produzida pelo brasileiro Rodrigo Teixeira) conta com uma trilha sonora impecável e sensacional composta pelo próprio diretor.

Patricia “Killa P” Dombrowski canta suas rimas atrás do balcão de um bar para conseguir pagar os gastos médicos de sua avó e sustentar sua mãe alcoólatra cuja carreira musical nunca deu certo. Patti e seu melhor amigo Jheri (Siddharth Dhananjay em ótima atuação) sonham com fama, fortuna e escapar de Dirty Jersey o mais rápido possível, mas ainda não encontraram um produtor que possa alavancar suas carreiras. Até que ela inesperadamente se aproxima de Basterd, um recluso músico de goth-metal que poderá ser sua chance de chegar ao estrelato no hip-hop.

Com um quê de Preciosa em seu roteiro, o filme aborda a periferia e as vielas do Rap em New Jersey através da jornada de Patricia “Killa P” Dombrowski, uma rapper improvável que encontra sua voz interior nas letras de suas músicas, onde expõem suas revoltas e suas vivências. “Killa P”  capta perfeitamente a essência do personagem marginalizado, mesmo que ela não permita que os valentões e bullies tenham a última palavra. Intimidadora e heroica na sua resiliência contra o mundo cruel, “Killa P” enfrenta o mundo de frente, sem medo algum em perfeitos três atos.

Aclamado pela crítica na última edição do Festival de Sundance, em Park City, EUA, o longa PATTI CAKE$, de Geremy Jasper, encerrou a Quinzena dos Realizadores de Cannes 2017.

DEIXE UM COMENTÁRIO