“A escuridão não pode afastar a escuridão, só a luz pode fazer isso” Martin Luther King.
Retrato de um sociedade preconceituosa, que não permitia uma evolução pacífica e construtiva, os Estados Unidos negou dignidade a muitos seres humanos. Com um legado deformador, é impossível não se revoltar ao rever esses fatos novamente em outras obras cinematográficas, mas é preciso! Quem sabe assim, aprendemos a conviver com as diferenças, sejam elas quais forem.
O diretor Lee Daniels retorna às questões de igualdade racial e social, depois do sucesso de “Preciosa – Uma história de esperança”. Baseado em uma história real “O Mordomo da Casa Branca” conta a história de Cecil Gaines (interpretado brilhantemente por Forest Whitaker), um jovem negro do Sul dos Estados Unidos que em 1957, conseguiu um emprego como mordomo da Casa Branca, posto que ocupou até sua aposentadoria, em 1986.
Durante sua vida, Cecil foi testemunha dos bastidores e dramas do poder de vários governos, mas a relação familiar estava longe de ser uma perfeição.  Sua profissão lhe trouxe problemas em casa, principalmente com seu filho Louis, um jovem engajado na política e em movimentos sociais em busca dos direitos civis.
Mostrando as dramáticas mudanças que varreram a sociedade americana, desde os movimentos pelos direitos civis, a guerra do Vietnã (onde perdeu seu filho caçula) e muitos outros momentos importantes, o filme reacende a questão do preconceito.
O filho mais velho, que vivia nas ruas em busca de uma revolução, foi vítima não só da sociedade da época, mas também de sua própria família. Depois de apanhar muito, Louis consegue se reerguer fazendo um trabalho primoroso em busca dos Direitos Civis. O reconhecimento do seu trabalho demora anos para ser visto pela sociedade e pelo pai. Da mesma forma que o trabalho do pai para o filho. Mas nada impediu que o reencontro de pai e filho acontecesse. Visceral e emocionante, o reencontro dos dois mexerá com suas vidas para sempre!
Com um elenco afiadíssimo, cheio de atuações excepcionais, o filme sem dúvida alguma, terá várias indicações ao Oscar!

O filme em si cita várias vezes Luther King, mas também lembra a música “Imagine” de John Lennon. “O Mordomo da Casa Branca” é uma obra espetacular que não pode deixar de ser vista!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here