CINEMA ARGENTINO É DESTAQUE NA CAIXA CULTURAL RIO DE JANEIRO
Mostra reúne filmes produzidos entre 2013 e 2015, incluindo títulos para o público infantil e homenagem ao cineasta Marco Bechis
A CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta, de 5 a 17 de abril (terça-feira a domingo), a mostra Histórias Extraordinárias: Cinema Argentino Contemporâneo com a exibição de dez filmes recentesproduzidos entre 2013 e 2015, no país vizinho. Paralela a programação para adultos, será realizada a mostra Chiquitos e Chiquitas, destinada ao público infantil, com títulos que dificilmente são encontrados nos cinemas brasileiros ou na televisão.
Com curadoria de Natalia Christofoletti Barrenha e Marcelo Panozzo, a mostra presta uma homenagem a Marco Bechis, cineasta conhecido pelos filmes voltados a discussões sobre o golpe militar de 1976, na Argentina – que completa 40 anos em 2016 -, e imprescindível quando se discute a abordagem política no cinema argentino e as marcas que aquela época deixou na História. Entre os filmes de Bechis serão exibidosGaragem Olimpo (Garage Olimpo, 1999), Filhos (Figli/Hijos, 2001) e O rumor da memória (El ruido de lamemoria, 2015).
Haverá ainda debates e sessões comentadas com pesquisadores e especialistas. Um dos destaques da mostra será a presença dos diretores argentinos Barbara Sarasola-Day, Javier Olivera (filho de outro grande cineasta argentino, Héctor Olivera) e Santiago Giralt, que vão falar de seus filmes, em particular, e do cinema argentino, em geral. O projeto tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e Governo Federal.
“A mostra traz uma seleção dos mais interessantes filmes produzidos nos últimos anos na Argentina, buscando esboçar uma ideia sobre o presente da produção daquele país. A diversidade de estéticas e poéticas brindadas pelo momento atual da cinematografia argentina permite uma programação estimulante, em sintonia tanto com as mais inventivas correntes de renovação do cinema mundial contemporâneo quanto com o apurado manejo do cinema clássico ou de gênero. E também suas releituras”, afirma a curadora Natalia Christofoletti Barrenha.

O cinema argentino tem conquistado grandes premiações europeias e é presença cativa na programação de festivais do mundo todo. Traz no currículo os dois únicos prêmios Oscar do cinema latino-americano: A historia oficial (La historia oficial, Luis Puenzo, 1986) e O segredo dos seus olhos (El secreto de sus ojos, Juan José Campanella, 2010).
Convidados:
Barbara Sarasola-Day – estudou Ciências da Comunicação na Universidad de Buenos Aires (UBA). Desde 2000 trabalha no meio cinematográfico, tendo atuado como assistente de direção e de produção. Dirigiu os curtas Exodia (2004), El canal (2005) e Fora de hora é seu primeiro longa.
Javier Olivera – estudou Cinema na University of California, Los Angeles (UCLA) e Literatura Ibero-Americana na Fundación Ortega y Gasset (Espanha). Entre seus longas estão El visitante (1999), Floresta (2007) e Mika, mi guerra de España (2013).
María Celina Ibazeta  é formada pela Universidad Nacional de Tucumán (Argentina) como professora de Letras. Atualmente é professora no Departamento de Letras da Pontifícia Universidade Católica (PUC-Rio) e estuda a temática indígena no documentário.

Marina Cavalcanti Tedesco –
 é professora de cinema na Universidade Federal Fluminense (UFF). Seus principais temas de pesquisa são cinema latino-americano, técnica cinematográfica, gênero e sexualidade.

Patrícia Machado – 
é doutora em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Publicou artigos em revistas do campo da comunicação e capítulos de livros sobre as relações entre cinema e ditaduras.

Santiago Giralt – 
estudou na Universidad del Cine e é diretor, roteirista, produtor, ator, dramaturgo e romancista. Tem em sua filmografia os longas Toda la gente sola (2009), Antes delestreno (2010), Here, KittyKitty (2014) e Anagramas (2014), entre outros.
Vinicios Ribeiro – é professor da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Doutorando em Comunicação e Cultura na mesma universidade.

Programação:

5 de abril (terça-feira)
14h – Coletânea de curtas Juan Pablo Zaramella, 41min37
A luva (2001), Juan Pablo Zaramella e Gustavo Cornillón, 9min54, Argentina, 10 anos. (Infantil)
Viagem a Marte (2004), Juan Pablo Zaramella, 16min13, Argentina, 10 anos. (Infantil)
Lapso (2007), Juan Pablo Zaramella, 3min24, Argentina, 10 anos.  (Infantil)
Na ópera (2010), Juan Pablo Zaramella, 1min01, Argentina, 10 anos. (Infantil)
Desafio à morte (2011), Juan Pablo Zaramella, 3min30, Argentina, 10 anos. (Infantil)
Hotcorn! (2011), Juan Pablo Zaramella, 1min05, Argentina, 10 anos. (Infantil)
Luminaris (2011), Juan Pablo Zaramella e Gustavo Cornillón, 6min15, Argentina/França, 10 anos (Infantil)
17h – A sombra (2015), Javier Olivera, 72min, Argentina, 13 anos.
18h30 – Paulina (2015), Santiago Mitre, 103min, Argentina/Brasil/França, 16 anos.
6 de abril (quarta-feira)
15h – Damiana Kryygi (2015), Alejandro Fernández Mouján, 94min, Argentina, 12 anos.
17h – Garagem Olimpo (1999), Marco Bechis, 98min, Argentina/Itália/França, 14 anos.
19h – O escaravelho de ouro (2014), Alejo Moguillansky e Fia-StinaSandlund, 100min, Argentina/Dinamarca/Suécia, livre. 
7 de abril (quinta-feira)
14h – Basicamente um poço (2009), Grupo Humus, 70min, 10 anos. (Infantil)
16h – Dois disparos (2014), Martín Rejtman, 104min, Argentina/ Chile/Alemanha/Holanda, 14 anos.
18h10 – Jess & James (2015), Santiago Giralt, 92min, Argentina, 18 anos.
Sessão comentada com o diretor Santiago Giralt e o pesquisador Vinicios Ribeiro
8 de abril (sexta-feira)
15h – A sombra (2015), Javier Olivera, 72min, Argentina, 13 anos.
16h40 – O rumor da memória (2015), 58min, Argentina/Itália, 12 anos.
18h – Damiana Kryygi (2015), Alejandro Fernández Mouján, 94min, Argentina, 12 anos.
Sessão comentada com Profa. Dra. María Celina Ibazeta.
9 de abril (sábado)
14h – Como funcionam quase todas as coisas (2015), Fernando Salem, 93min, Argentina, 13 anos.
Sessão com áudio descrição
16h – Jess & James (2015), Santiago Giralt, 92min, Argentina, 18 anos.
Sessão comentada com o diretor Santiago Giralt e o curador da mostra Marcelo Panozzo.
19h – Dois disparos (2014), Martín Rejtman, 104min, Argentina/ Chile/ Alemanha/ Holanda, 14 anos
10 de abril (domingo)
15h – Coletânea de curtas Juan Pablo Zaramella, 41min37
A luva (2001), Juan Pablo Zaramella e Gustavo Cornillón, 9min54, Argentina, 10 anos. (Infantil)
Viagem a Marte (2004), Juan Pablo Zaramella, 16min13, Argentina, 10 anos. (Infantil)
Lapso (2007), Juan Pablo Zaramella, 3min24, Argentina, 10 anos. (Infantil)
Na ópera (2010), Juan Pablo Zaramella, 1min01, Argentina, 10 anos. (Infantil)
Desafio à morte (2011), Juan Pablo Zaramella, 3min30, Argentina, 10 anos. (Infantil)
Hotcorn! (2011),  Juan Pablo Zaramella, 1min05, Argentina, 10 anos. (Infantil)
Luminaris (2011), Juan Pablo Zaramella e Gustavo Cornillón, 6min15, Argentina/França, 10 anos. (Infantil)
16h – A mulher dos cachorros (2015), Laura Citarella e Verónica Llinás, 96min, Argentina, 14 anos.
18h – Fora de hora (2013), Barbara Sarasola-Day, 102min, Argentina/ Colômbia/Noruega, 16 anos.
12 de abril (terça-feira)
15h – Jess & James (2015), Santiago Giralt, 92min, Argentina, 18 anos.
17h – Filhos (2001), Marco Bechis, 92min, Argentina/Itália, livre. 
19h – Como funcionam quase todas as coisas (2015), Fernando Salem, 93min, Argentina, 13 anos.

13 de abril 
(quarta-feira)
15h – Fora de hora (2013), Barbara Sarasola-Day, 102min, Argentina/ Colômbia/Noruega, 16 anos.
17h – Paulina (2015), Santiago Mitre, 103min, Argentina/Brasil/França, 16 anos.
19h – A mulher dos cachorros (2015), Laura Citarella e Verónica Llinás, 96min, Argentina, 14 anos.
14 de abril (quinta-feira)
15h – Garagem Olimpo (1999), Marco Bechis, 98min, Argentina/Itália/França, 14 anos.
17h10 – Corpo de letra (2015), Julián D’Angiolillo, 77min, Argentina, livre. 
18h45 – A sombra (2015), Javier Olivera, 72min, Argentina, 13 anos.
Sessão comentada com o diretor Javier Olivera e a curadora da mostra Natalia Christofoletti Barrenha
15 de abril (sexta-feira)
14h – Rodência e o dente da princesa (2013), David Bisbano, 87min, Argentina/Peru, livre. (Infantil)
17h – O escaravelho de ouro (2014), Alejo Moguillansky e Fia-StinaSandlund, 100min, Argentina/Dinamarca/Suécia, livre.
19h – Debate com os realizadores Barbara Sarasola-Day e Javier Olivera.
16 de abril (sábado)
14h – O rumor da memória (2015), 58min, Argentina/Itália, 12 anos.
Sessão comentada com a Dra. Patrícia Machado.
16h – Fora de hora (2013), Barbara Sarasola-Day, 102min, Argentina/ Colômbia/Noruega, 16 anos. Sessão comentada com a diretora Barbara Sarasola-Day e a Profa. Dra. Marina Cavalcanti Tedesco.
19h – Corpo de letra (2015), Julián D’Angiolillo, 77min, Argentina, livre. 
17 de abril (domingo)
14h – Basicamente um poço (2009), Grupo Humus, 70min, 10 anos. (Infantil)
16h – Damiana Kryygi (2015), Alejandro Fernández Mouján, 94min, Argentina, 12 anos.
18h – Filhos (2001), Marco Bechis, 92min, Argentina/Itália, livre.  
Serviço:
Mostra Histórias Extraordinárias: Cinema Argentino Contemporâneo
Local:
 CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 1
Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro (Metrô: Estação Carioca)
Telefone: (21) 3980-3815
Data: 5 a 17 de abril de 2016 (terça-feira a domingo)
Horários: Consultar Programação
Ingressos: R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes CAIXA pagam meia.
Lotação: Cinema 1 (78 lugares + 3 para cadeirantes);
Bilheteria:  terça-feira a domingo, das 10h às 20h
Classificação indicativa: Consultar Programação
Acesso para pessoas com deficiência
Patrocínio:
 Caixa Econômica Federal e Governo Federal
Apoio: Consulado General de la República Argentina en Río de Janeiro, Ministerio de Relaciones Exteriores y Culto de la República Argentina, Instituto Cultural Brasil Argentina, Instituto Cervantes e Revista Piauí.
Trailers dos filmes da mostra: https://vimeo.com/cineargentino

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here