Máquinas Mortais [Mortal engines, Estados Unidos, 2017], de Christian Rivers (Universal). Gênero: ficção científica. Elenco: Robert Sheehan, Ronan Raftery. 3D.

Milhares de anos após a civilização ter sido destruída por um evento cataclísmico, a humanidade se adaptou e um novo modo de vida evoluiu. Cidades gigantescas em movimento agora vagam pela Terra, impiedosamente atacando cidades de tração menores. Tom Natsworthy (Robert Sheehan) – que vem de uma camada inferior da grande cidade de Londres de tração – encontra-se lutando por sua própria sobrevivência depois que ele encontra o perigoso fugitivo Hester Shaw (Hera Hilmar). Dois opostos, cujos caminhos nunca deveriam ter cruzado, forjam uma aliança improvável destinada a mudar o curso do futuro.

Critica: https://rotacult.com.br/2019/01/maquinas-mortais-traz-um-mundo-pos-apocaliptico-bem-construido-porem-cheio-de-falhas-na-narrativa/

Homem-Aranha no Aranhaverso [Spider-Man into the Spider-Verse, Estados Unidos, 2018], de Bob Persichetti, Peter Ramsey, Rodney Rothman (Sony). Gênero: animação. 3D. Classificação: 12 anos

Miles Morales é um jovem negro do Brooklyn que se tornou o Homem-Aranha inspirado no legado de Peter Parker, já falecido. Entretanto, ao visitar o túmulo de seu ídolo em uma noite chuvosa, ele é surpreendido com a presença do próprio Peter, vestindo o traje do herói aracnídeo sob um sobretudo. A surpresa fica ainda maior quando Miles descobre que ele veio de uma dimensão paralela, assim como outras variações do Homem-Aranha.

Critica: https://rotacult.com.br/2019/01/homem-aranha-no-aranhaverso-uma-homenagem-as-historias-em-quadrinhos/

Assunto de família [Manbiki kazoku, Japão, 2018], de Hirokazu Koreeda (Imovision). Gênero: drama. Elenco: Lily Franky, Sakura Ando, Kirin Kiki.

Depois de uma de suas sessões de furtos, Osamu (Lily Franky) e seu filho se deparam com uma garotinha. A princípio eles relutam em abrigar a menina, mas a esposa de Osamu concorda em cuidar dela depois de saber dos abusos que ela sofre de seus pais. Embora a família seja pobre e mal ganhem dinheiro dos pequenos crimes que cometem, eles parecem viver felizes juntos até que um incidente revela segredos escondidos, testando os laços que os unem.

Critica: https://rotacult.com.br/2019/01/assunto-de-familia-hirokazu-koreeda-reconstroi-a-estrutura-familiar-em-drama-sobre-valores/

A Esposa [The wife, Reino Unido, Suécia, Estados Unidos, 2017], de Björn Runge (Alpha Filmes / Pandora Filmes). Gênero: drama. Elenco: Glenn Close, Jonathan Pryce, Christian Slater. Classificação: 12 anos

Enquanto viaja para Estocolmo com o marido, que receberá o Prêmio Nobel de Literatura, Joan ( Glen Close ) questiona suas escolhas de vida. Durante os 40 anos de casamento, sacrificou seu talento, sonhos e ambições, para apoiar o carismático Joe ( Jonathan Pryce ) e sua carreira literária.

Assediada por um jornalista ( Christian Slater ) ávido por escrever uma escandalosa biografia de Joe, agora Joan enfrentará o maior sacrifício de sua vida e alguns segredos há muito enterrados finalmente virão à tona.

Critica: https://rotacult.com.br/2019/01/glenn-close-perpetua-a-mulher-soberana-sob-as-conquistas-de-um-homem/

Yara [Yara, Líbano, Iraque, França, 2018], de Abbas Fahdel (Zeta Filmes).. Elenco: Michelle Wehbe, Elias Freifer, Mary Alkady

A jovem Yara mora com a avó em uma fazenda no Vale de Qadisha, ao norte do Líbano. A maioria dos antigos habitantes da vila já se mudou ou faleceu. Um dia, Yara conhece Elias, um jovem caminhante, meio perdido, que passa pela fazenda. Entre dias lindos e quentes, cuidando das cabras, alimentando as galinhas, lavando roupa, tomando sol, Yara descobre um amor de verão.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here