Sucesso dos palcos brasileiros, "Nefelibato" terá exibição on-line
Foto: Lenise Pinheiro

Pelas ruas da cidade, Anderson oscila entre a lucidez e a loucura – ele hoje é apenas a sombra de um homem outrora bem-sucedido, mas que perdeu tudo: sua empresa, todas as suas economias, inclusive, o grande amor da sua vida e um parente querido. Na fronteira com o delírio, mas ainda capaz de lampejos de sabedoria, essa pungente figura é interpretada pelo ator Luiz Machado no solo “Nefelibato”.

Escrito por Regiana Antonini, dirigido por Fernando Philbert e com supervisão artística de Amir Haddad, o monólogo, que está há quatro anos percorrendo os palcos do Brasil, terá três sessões este mês a partir de material pré-filmado.

Aliás, a trama que é ambientada na década de 90, dialoga muito com o Brasil de hoje. Em cena, os efeitos devastadores do Plano Collor, que levaram Anderson a se tornar morador de rua, quando o país voltava a ter um governo eleito democraticamente e a inflação galopante exigia medidas drásticas. Mas a saída da nova equipe econômica foi confiscar parte da caderneta de poupança da população, o que levou milhares de brasileiros ao desespero e à bancarrota, como Anderson, que ainda amarga outras perdas em sua vida.

Luiz Machado conta, “Anderson é alguém que vive situações limite. Um equilibrista no fio tênue entre lucidez e loucura, vida e poesia”, enquanto o diretor se pergunta ao longo do processo da montagem.,  “O quanto de loucura é necessário para o ser humano não perder a própria vida?”

 “Quis tratar do instinto de sobrevivência que o ser humano tem e esquece que tem. Viver na rua é o caminho que ele encontrou para continuar vivo”, completa o diretor.

Serviço:
Nefelibato – Exibições virtuais
Temporada: 12, 19 e 26 de setembro, às 21h.
Ingresso: IClubbe
Classificação etária: 14 anos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here