Mãe![mother!, Estados Unidos, 2017], de Darren Aronofsky . Gênero: drama. Elenco: Jennifer Lawrence, Javier Bardem, Michelle Pfeiffer

A relação de um casal é testada quando visitantes não esperados chegam à sua casa e atrapalham a tranquilidade da família. Do diretor Darren Aronofsky (de “Cisne Negro” e “Requiem para um Sonho”), “Mãe!” é um suspense psicológico sobre amor, devoção e sacrifício com Jennifer Lawrence, Javier Bardem, Ed Harris e Michelle Pfeiffer no elenco.

Critica 1: https://rotacult.com.br/2017/09/reflexoes-inesperadas-em-mae-novo-filme-de-darren-aronofsky/

 Critica 2: https://rotacult.com.br/2017/09/mae-nova-obra-de-aronofsky-traz-receita-antiga-que-consagrou-o-cineasta/

Divórcio [Divórcio, Brasil, 2016], de Pedro Amorim. Gênero: comédia. Elenco: Camila Morgado, Murilo Benício, Luciana Paes, Thelmo Fernandes.

A trama acompanha a história de Noeli (Camila Morgado), que é roubada do altar por Júlio (Murilo Benício). O casal leva uma vida humilde, mas enriquece quando o molho de tomate Juno, criado por eles, torna-se um sucesso. Com o passar dos anos, os dois abrem uma grande empresa e enriquecem, mas o dinheiro e a rotina os distancia. E um mal entendido é a gota d’água para a separação. Para defender o patrimônio, cada um tenta achar o melhor advogado para si, o que gera um processo de divórcio cheio de confusões e com cenas hilárias.

Critica: https://rotacult.com.br/2017/09/divorcio-com-camila-morgado-e-murilo-benicio-chega-aos-cinemas/

Esta é sua morte – O show [This is your death, Estados Unidos, 2017], de Giancarlo Esposito . Gênero: drama. Elenco: Famke Janssen, Josh Duhamel, James Franco. Classificação: 18 anos

As pessoas hoje se entretém com a degradação dos outros diante das telas. Elas vibram com argumentos selvagens, lutas sangrentas e escândalos. E quando pensam que viram de tudo, o apresentador Adam Rogers ultrapassa os limites com “Esta é a sua morte”. Um reality show onde os participantes terminam com suas vidas por uma chance de ganhar dinheiro. Movido pelo desejo de chocar as pessoas e provocar mudanças sociais, ele fará tudo para conquistar a audiência. Mesmo sacrificando sua própria humanidade.

Critica: https://rotacult.com.br/2017/09/esta-e-a-sua-morte-traz-critica-social-e-alfineta-a-falta-de-empatia-humana/

O Assassino – O primeiro alvo [American Assassin, Estados Unidos, 2016], de Michael Cuesta . Gênero: suspense. Elenco: Dylan O’Brien, Michael Keaton, Sanaa Lathan, Taylor Kitsch.

Filme acompanha Stan Hurley (Michael Keaton), um agente de treinamento da CIA, que recebe a tarefa de treinar Mitch Rapp (Dylan O’Brien), um ex-soldado das forças especiais, que está devastado após a morte de sua noiva durante um atentado terrorista e tomado por um sentimento de revanche.

Critica: https://rotacult.com.br/2017/09/mitch-rapp-o-novo-007-misturado-com-jason-bourne-e-muitos-recursos-de-videogames/

O sequestro [Kidnap, Estados Unidos, 2017], de Luis Prieto . Gênero: thriller. Elenco: Halle Berry, Dana Gourrier, Christopher Berry.

Uma mulher (Halle Barry), que tem seu filho sequestrado em um parque local, embarca numa corrida contra o tempo para salvá-lo.

Critica: https://rotacult.com.br/2017/09/acao-e-suspense-em-o-sequestro-protagonizado-por-halle-berry/

A garota do armário [Maman a tort, França, 2017], de Marc Fitoussi  Gênero: comédia dramática. Elenco: Jeanne Jestin, Émilie Dequenne, Annie Grégorio.

Uma jovem de quatorze anos de idade que tem que experimentar trabalhar por uma semana como parte de um projeto escolar. Por isso, sua mãe arranja um estágio para a menina na companhia de seguros onde trabalha como executiva júnior. Porém, enquanto re-organiza um armário de armazenamento a jovem descobre alguns segredos desagradáveis que a empresa mantém escondido e que podem envolver sua mãe

Pendular [Pendular, Brasil, 2017], de Julia Murat. Gênero: drama. Elenco: Raquel Karro, Rodrigo Bolzan, Neto Machado.

Um jovem casal se instala num galpão industrial abandonado. Uma faixa laranja, colada ao chão, divide a área em duas porções iguais: à direita, o ateliê de escultura dele; à esquerda, o estúdio de dança dela.

Critica: https://rotacult.com.br/2017/09/a-simbologia-ao-amor-aos-olhos-de-julia-murat-em-pendular/

Rodin [Rodin, França, Bélgica, 2017], de Jacques Doillon . Gênero: drama. Elenco: Vincent Lindon, Izïa Higelin, Séverine Caneele.

Em Paris de 1880, Auguste Rodin finalmente recebe, aos 40 anos, sua primeira encomenda do Estado: A Porta do Inferno, obra composta de figuras que farão sua glória, como O Beijo e O Pensador. Ele divide sua vida com Rose, sua eterna companheira, quando conhece a jovem Camille Claudel, sua aluna mais talentosa, que rapidamente torna-se sua assistente e, em seguida, sua amante. Dez anos de paixão, mas também dez anos de admiração e cumplicidade compartilhada. Após a dissolução, Rodin continua a trabalhar com determinação. Ele deve encarar a rejeição e o entusiasmo que a sensualidade da sua escultura provoca e assina com seu Balzac, rejeitado enquanto vivo, ponto de partida incontestável da escultura moderna. SELEÇÃO OFICIAL DE CANNES 2017.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here