O ódio que você semeia [The hate u give, Estados Unidos, 2018], de George Tillman Jr. (Fox). Gênero: drama. Elenco: Amandla Stenberg, Regina Hall, Russell Hornsby. Classificação: 14 anos

Starr Carter (Amandla Stenberg) é uma adolescente negra de dezesseis anos que presencia o assassinato de Khalil, seu melhor amigo, por um policial branco. Ela é forçada a testemunhar no tribunal por ser a única pessoa presente na cena do crime. Mesmo sofrendo uma série de chantagens, ela está disposta a dizer a verdade pela honra de seu amigo, custe o que custar.

Critica: https://rotacult.com.br/2018/11/o-odio-que-voce-semeia-um-excepcional-retrato-da-ameaca-a-negritude/

Rasga coração [Brasil, 2018], de Jorge Furtado (Sony). Gênero: drama. Elenco: Marco Ricca, Luisa Arraes, Drica Moraes.

Manguari Pistolão (Marco Ricca) é ao mesmo tempo um herói e um homem comum. Atuante na militância em boa parte da vida, agora ele terá que enfrentar o mesmo que seu pai enfrentou: o seu filho Luca (Chay Suede) pretende deixar a faculdade de Medicina e ingressar de vez no movimento hippie. Em um crescente conflito com as escolhas do filho, ele verá seu passado sendo reiventado na figura dele.

Critica: https://rotacult.com.br/2018/12/rasga-coracao-marco-do-teatro-na-decada-de-1970-ganha-adaptacao-dirigida-por-jorge-furtado/

O chamado do mal [Malicious, Estados Unidos, 2017], de Michael Winnick (Imagem). Gênero: terror. Elenco: Josh Stewart, Delroy Lindo, Bojana Novakovic. Classificação: 14 anos

Quando Adam (Josh Stewart) aceita um emprego como professor universitário, ele e sua esposa grávida, Lisa (Bojana Novakovic), se mudam para um novo lar nos arredores da cidade. Tudo parece perfeito, até que Lisa sofre um aborto em circunstâncias misteriosas. ​Agora, ​ela se vê assombrada por uma entidade maligna que começa a atormentar sua vida, fazendo-a questionar sua sanidade. Lisa terá que lutar contra a razão para encontrar respostas e descobrir o que aconteceu com seu bebê.

Critica: https://rotacult.com.br/2018/12/o-chamado-do-mal-terror-promissor-usa-dos-velhos-cliches-do-genero/

A vida em si [Life itself, Estados Unidos, 2018], de Dan Fogelman (Paris). Gênero: drama. Elenco: Olivia Wilde, Oscar Isaac, Antonio Banderas.

A partir da história de amor do casal (Oscar Isaac & Olivia Wilde), um drama multi-geracional abrange diferentes décadas e continentes, percorrendo das ruas de Nova York ao interior da Espanha. A Vida em Si é novo trabalho de Dan Fogelman, criador da série “This is Us”.

Critica: https://rotacult.com.br/2018/12/a-vida-em-si-uma-obra-sobre-os-aspectos-cosmicos-da-vida/

2 outonos e 3 Invernos [2 automnes 3 hivers, França, 2013], de Sébastien Betbeder (Fênix Filmes). Gênero: comédia. Elenco: Vincent Macaigne, Maud Wyler, Bastien Bouillon.

Aos 33 anos, Arman decide mudar de vida. Para começar, num sábado, ele resolve ir correr no parque. Ao dobrar a esquina, ele tromba com Amélie. O primeiro encontro é um choque; o segundo é como uma punhalada no coração. Uma noite, Benjamin, melhor amigo de Arman, desmaia. O médico diagnostica um derrame. Durante dois outonos e três invernos, as vidas de Amélie, Arman e Benjamin se confundem e se preenchem de encontros, acidentes, amores e memórias.

Critica: https://rotacult.com.br/2018/12/2-outonos-3-invernos-um-protesto-a-romantizacao/

Tinta bruta [Tinta bruta, Brasil, 2017], de Filipe Matzembacher, Marcio Reolon (Vitrine Filmes – Sessão Vitrine Petrobras). Gênero: drama. Elenco: Shico Menegat, Bruno Fernandes, Guega Pacheco. Classificação: 18 anos

O jovem Pedro (Shico Menegat) vive um momento complicado, ele responde a um processo criminal ao mesmo tempo em que precisa lidar com a mudança da irmã, sua única amiga. Como forma de catarse, ele assume o codinome GarotoNeon e passa a se apresentar anonimamente na internet dançando nu na escuridão do seu quarto, coberto apenas por uma tinta fluorescente.

Critica: https://rotacult.com.br/2018/12/tinta-bruta-um-retrato-psicologico-poetico-sobre-a-sexualidade/

O beijo no asfalto [O beijo no asfalto, Brasil, 2017], de Murilo Benício (ArtHouse). Gênero: drama. Elenco: Lázaro Ramos, Débora Falabella, Fernanda Montenegro.

Adaptação da peça escrita por Nelson Rodrigues e encenada pela primeira vez nos palcos em 1961, conta com direção de Murilo Benício, mescla teatro e cinema em preto e branco.

Critica: https://rotacult.com.br/2018/12/o-beijo-no-asfalto-usa-da-metalinguagem-para-transpor-o-teatro-para-o-cinema/

Maria Callas – Em suas próprias palavras [Maria by Callas, França, 2017], de Tom Volf (Imovision). Gênero: documentário.

Artista absoluta, se tornou um ícone mundial e uma mulher apaixonada pelo destino inesperado, “Maria by Callas” é a história de uma vida excepcional em primeira pessoa. Callas revela Maria e revela também uma personalidade incandescente e vulnerável. Um momento de intimidade com uma lenda e toda a emoção desta voz única no mundo.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here